domingo, 28 de fevereiro de 2010

Bicicleta

O sábado se demonstrou um dia lindo, com céu claro, poucas nuvens voavam lentamente ao sabor do vento. Um belo dia de primavera, pensou Clara, se arrumando para passear no Wannsee, iria andar pelo parque e dar uma volta de barca, aproveitando o ultimo Fahrschein de universitária.




Era por volta de 10 da manhã, ela se dirigiu para a plataforma do Straßenbahn. Não demorou muito para o M 17 que viajava na direção Schöneweide chegasse. Viajou dois minutos até a plataforma da Friedrichsfelde Ost onde atravessou a rua e logo chegou à estação já movimentada, demonstrando que as pessoas resolveram aproveitar bem aquele domingo de sol. Clara Aguardou o trem por 10 min. Precisava pegar o S7 no sentido Potsdam Hbf.





Não teve dificuldades em encontrar um lugar, sentou-se em um canto sem ninguém, apenas ela com seus pensamentos. Seus olhos miravam a paisagem daquela Berlin que outrora já foi chamada de Oriental. Passado alguns minutos a voz do metrô anuncia: Nächste Halt, Alexanderplatz. Clara ainda distraída só volta à realidade quando uma pessoa ocupa o lugar à sua frente. Era um rapaz alto, de cabelos negros ondulados, a pele um tanto bronzeada, vestia uma camisa azul e uma bermuda estilo cargo marrom, nos pés uma sandália bem confortávele e ao seu lado levava uma estrutura um tanto complexa ao olhar da moça que parecia ainda viajar em pensamentos enquanto observava o rapaz.





“Ah, uma bicicleta dobrável!” Pensou achando graça de si mesma por não ter percebido logo do que se tratava.



O Rapaz a mirava com seus olhos verdes e uma expressão curiosa se formou em seu rosto. Clara imaginou ter visto ele abrir a boca para falar algo quando ouviu alguém exclamar:





_Fahrschein, bitte!





Era um Controller, um fiscal de passagens solicitando aos passageiros que mostrassem os tickets. Os passageiros prontamente mostravam seus bilhetes para os dois fiscais que estavam naquele vagão. A moça já estava com o seu na mão quando percebeu algo diferente à sua frente.






_Onde está o seu Einzelfahrschein Fahrrad? _ Perguntou o Controller para o rapaz moreno.




_Por que eu precisaria de um, creio que o meu Fahrschein basta para que eu viaje!_ responde.



_Só para você, mas sua bicicleta precisa dele para ir contigo! _ retrucou o funcionário da BVG num tom um tanto irônico.



_Bicicleta? não vejo nenhuma bicicleta por aqui!_ disse o rapaz, olhando para os lados à procura de alguma coisa até parar os olhos naquele conjunto de rodas e metais dobrados que estavam ao seu lado _ Ah! Creio que está falando disto aqui?



O Controller, com um sorriso meia-lua, assentiu com a cabeça.



_Desculpe-me, mas isto não é uma bicicleta, é um volume e para volumes não existe um Einzelfahrschein Paket! O rapaz diz sendo tão irônico quanto o homem que o inquiria.



_Ach! Isto não é um volume, é uma bicicleta!



_Doch! Isto é um volume e não uma bicicleta!




Então se ouve a voz anunciar novamente: Nächste Halt, Hackescher Markt!




O outro funcionário da BVG chama o colega, este meio contrariado sai dizendo: Ach Was!




Após escutar Zurückbleibe, bitte, seguido do sinal de fechamento das portas, o rapaz olha para Clara e a vê com a expressão de surpresa estampada no rosto. Ele ri e a pergunta:




_Você sabe tanto quanto eu que isto é uma bicicleta, oder?




Clara dá uma gargalhada com direito a perceber as pessoas olharem para ela, mas não se importou, afinal, não é sempre que se presencia uma cena dessas dentro de uma S-Bahn.



O Rapaz riu com ela e depois acrescentou:




_Eu já vi muitos alemães carregando essas coisas em todos os transportes dessa cidade e nunca um fiscal pediu Einzelfahrschein Fahrrad para nenhum deles, será que ta escrito na minha testa: Ausslander?




_Tanto quanto na minha! _Respondeu Clara.




_É, mas não pediram um Einzelfahrschein Strandtasche para você!




_Claro, bolsa de praia é apenas um volume! _continuou rindo.




_Meu nome é Roberto e o seu?




_Clara! Prazer, Roberto!




_Nome latino, como o meu, de onde você é?




_Sou do Brasil e você?




_Itália!




_Ah não diga? Parlo anche italiano!




_Ma che bello! Onde aprendeu a fala minha língua?




_Aqui mesmo na universidade.




_Estuda idiomas, denn? _perguntou um Roberto mais interessado.




_Sim, mas não é a minha área profissional, estudo mais por hobby. Eu sou arquiteta, tem duas semanas que recebi o certificado.




Roberto olhava com extrema atenção para Calra que lhe contava os detalhes de como ela veio parar em Berlin. O assunto foi desenrolando e quando menos perceberam o trem anunciava: Nächste Halt Wannsee Haupt Bahnhof



_Ah eu desço aqui! _interrompeu a moça apressada.




_Eu também! Trouxe a bicicleta para andar em volta do lago!




_Que legal! Pena eu não ter uma!




_Isso não é problema, pode-se alugar uma, assim agente não interrompe essa conversa tão agradável!




Clara se sentiu um tanto envergonhada, mas aceitou a proposta. Desceram na estação e foram para o Lago, lá encontraram um aluguel de bicicletas e seguiram a conversa tão agradável sobre duas rodas cada um...




Um comentário:

E. L. Zerfas disse...

quero a continuação!hihihihihi otimo post!!!